Fatores a serem levados em conta antes de investir

Fatores a serem levados em conta antes de investir

Quando tivermos a ideia de tornar o nosso dinheiro rentável, devemos ter em conta alguns factores chave para desenhar o nosso portfólio. Estes devem ser claramente definidos e coerentes com as necessidades do investidor. Esses objetivos devem ser a base do investimento para que possamos alcançá-los e multiplicar o capital econômico.

Mas, onde investo o meu dinheiro quando a bolsa de valores é tão volátil?

1,2% do tráfego da dívida continua nas mãos de investidores privados, estes têm cerca de 170,226 milhões de euros investidos em acções espanholas e este número aumentou 83% desde 2011. As famílias possuem 26% das ações cotadas, a maior porcentagem nos últimos 12 anos.

A maioria da população espanhola não tem o conhecimento necessário para investir, segundo um estudo realizado pela “Optima Financial Planners” 42,3% das poupanças financeiras da população espanhola permanecem em depósitos, o que actualmente não é o melhor lugar para poupar e investir. Os fundos de investimento espanhóis na Europa na categoria de bolsa têm um custo médio de 1,27% para o investidor, no entanto, em Espanha o custo médio ascende a 1,8% nos respectivos fundos.

O problema não está apenas no que é pago, mas também no que é obtido em troca. Dos 368 fundos de investimento com 15 anos de história, apenas 16 deles tiveram uma rentabilidade sobre o bónus espanhol em 10 anos, e apenas dois deles tiveram uma rentabilidade superior ao Ibex 35.

A seguir desenvolvemos alguns fatores que devem ser estudados antes de investir:


Objectivos de investimento

Refere-se aos objetivos que devem ser alcançados com o investimento, os riscos e o retorno estimado. Fundamentalmente poderia haver três metas em um investimento: crescimento através da valorização do capital, o que significa que o investidor quer ver sua carteira crescer durante o tempo e esse crescimento só é alcançado com ganhos de capital, geralmente com uma estratégia de longo prazo. Outra meta seria focada em pagamentos periódicos através do aluguel, neste caso o investidor prefere gerar rendimentos mensais ao invés de rendimentos de capital, este é o perfil daqueles investidores que desejam complementar seus rendimentos. E por último, a proteção do investimento inicial, o que significa que o investidor pretende minimizar o risco de perda, mas manter o poder econômico. Para não perder o nível aquisitivo, o retorno não pode ser inferior ao imposto inflacionário.

Diversificar

Uma carteira diversificada deve incluir uma variedade de fundos que investem em diferentes tipos de activos. Para isso é importante entender no que nosso fundo está sendo investido, como ele se encaixa na carteira que já temos, e construir uma estrutura financeira diversificada para alcançar uma situação favorável. Com Housers você pode diversificar em diferentes tipos de imóveis, tais como comerciais, residenciais ou edifícios, e em breve também escritórios!

Horizonte temporal

Definindo o tempo em que você pode ou quer ter o dinheiro investido. O montante a ser investido deve ser claro tanto em activos a curto prazo (menos de 2 anos) como em activos a longo prazo (mais de 2 anos). A liquidez deve ser tida em conta. Em Housers, os projetos variam de acordo com o objetivo de reavaliação que foi determinado: Quanto maior for, é necessário um período mais longo para atingir o montante pré-determinado. Os projetos podem ser fixados em 12, 24, 30 ou 60 meses, mesmo que isso não signifique que se o objetivo for atingido mais cedo não possa ser vendido, como o projeto Chueca, um imóvel comercial fixado em 60 meses e que já está em contrato de “earnest money” e prestes a ser vendido. Apenas dois meses depois de ter sido financiado pelos nossos investidores! Além disso, em pouco tempo você poderá usar o nosso Market Place, para comprar e vender os seus investimentos. Liquidez imediata!

Comportamento histórico e recente

Os activos que tendem a seguir ciclos. Se conhecemos o retorno dos últimos 10 anos, a evolução permite-nos compreender mais claramente como irão reagir as mudanças no mercado. Não devemos esquecer, no entanto, que a rentabilidade passada não garante a rentabilidade futura. Já sabemos que o mercado imobiliário passou por um momento difícil com a “bolha imobiliária”, mas o momento atual nos convida a apostar no investimento neste setor.

Variação do tamanho da rentabilidade ao longo de um período

O desvio padrão (ou volatilidade) mede como a rentabilidade tem sido desviada em sua média histórica. Um desvio elevado significa que a rentabilidade do fundo passou por mudanças severas, enquanto que um desvio baixo significa que se manteve estável ao longo do tempo. Desta forma, quanto maior a volatilidade, maiores os riscos. Além disso, o mercado acionário e os fundos estão fortemente ligados às mudanças socioeconômicas e têm maior volatilidade.

A consistência da abordagem dos fundos e seus objetivos

Às vezes os fundos passam por uma “deriva de estilo” com mudanças sutis na forma como são investidos ou nos ativos onde são investidos. Essa “deriva de estilo” não é necessariamente um fator negativo, mas sua flexibilidade deve ser levada em conta porque pode afetar outros investimentos na carteira.

Tributação

No caso dos fundos, a maioria deles é baseada na acumulação (80%). Estes não são distribuídos em dividendos, mas acumulados no fundo, crescendo progressivamente. Com o tempo, os lucros e perdas não são listados pelo capital investido, mas o valor total gerado no investimento, a valorização do capital também gera lucro. Os fundos de distribuição são distribuídos periodicamente entre os participantes. Em Housers, os dividendos são partilhados todos os meses, pelo que a liquidez é imediata. Se uma pessoa jurídica tem mais de 5% de um projecto num mínimo de um ano, os activos não contam para impostos, pelo que não há retenção. Também se você decidir vender, o ganho de capital da venda seguindo os requisitos anteriores também não conta para os impostos. Além do ganho de capital para os investidores com Housers é o dobro, por um lado a rentabilidade do aluguel (3,28% de média líquida) e a rentabilidade da venda (15,95% de média líquida).

Comissões e custos

Ao investir num fundo de investimento, os custos são mais elevados do que parecem no início. Primeiro os custos de gestão, que é a comissão cobrada ao gestor do fundo pela escolha dos investimentos, esta é explícita e limitada por lei a um máximo de 2,25%. Outro custo, dependendo da quantidade investida, é a comissão cobrada pelo banco, que é maior se o investimento for pequeno e menor se o investimento for maior. Esta comissão varia entre 0,10% e 0,20% e também é explícita para o investidor. O TER (Total Expense Ratio) refere-se à soma dos custos de gestão e outros custos, mas não inclui despesas como o custo de corretagem (comissão cobrada pelo corretor ou operador), ou os custos de moeda (escondida na maioria das vezes). Os alojamentos cobram apenas custos de gestão (10%) e com aqueles que pagamos os custos de gestão do imóvel, inquilinos, manutenção da plataforma, etc. Ter uma conta em Housers é gratuito. Não cobramos sobre o valor que você investe, apenas sobre os lucros. Se você não ganhar, Housers – também não ganha.

Nível de risco

Não existe tal coisa como um investimento sem risco. Mas alguns produtos financeiros têm riscos mais elevados do que outros. Se as condições de risco são as mesmas, temos de apostar por uma oportunidade que gere mais rentabilidade, enquanto que se as condições de rentabilidade são as mesmas, temos de investir na que tem riscos mais baixos. O risco depende dos investidores e da sua capacidade de assumir o risco. Se o investidor tem uma carteira diversificada em diferentes produtos de investimento, podemos colocar o exemplo de uma pirâmide onde eles colocam na base a parte mais alta do capital os produtos com menos riscos, no meio o capital com riscos médios e no topo os altos riscos que eles poderiam perder sem comprometer uma grande parte do capital.

12 Sinais Você Tem um Conjunto de Mentes Empreendedoras

12 Sinais Você Tem um Conjunto de Mentes Empreendedoras

Se você fosse pressionado a descrever o empresário estereotipado, que palavras usaria? Apaixonado? Dedicado? Otimista? Claro, essas aplicam-se. Mas inseguro e causador de problemas são mais precisos, de acordo com os “passos que conhecem o sucesso quando o vêem”. Os seguintes traços, características e peculiaridades descrevem-no? Bem, então você pode ser um empreendedor (no coração, se ainda não na prática).

Um empreendedor entra em acção.

Barbara Corcoran, fundadora do The Corcoran Group e co-estrela do Shark Tank da TV, diz que as pessoas que têm um conceito mas não necessariamente uma estratégia detalhada são mais propensas a ter esse je ne sais quoi empresarial. “Odeio empreendedores com belos planos de negócios”, diz ela.
A recomendação da Corcoran? “Invente como [você] vai”, em vez de passar o tempo escrevendo um plano na sua mesa. Na verdade, ela acredita que aqueles que estudam negócios podem ser propensos a analisar situações em excesso, em vez de tomar medidas.

Um empreendedor está assustado.

“Muitos empresários considerados ambiciosos são realmente inseguros por baixo”, diz Corcoran. Ao avaliar potenciais investimentos, ela acrescenta: “Eu quero alguém que esteja morrendo de medo”. Aqueles que estão nervosos por falhar podem ficar hiperfocados e dispostos a fazer o que for preciso para ter sucesso. Se você se sente inseguro, use essa emoção para impulsioná-lo a atingir seus objetivos de negócios.

Um empreendedor é engenhoso

“Um dos meus programas de TV favoritos ao crescer foi MacGyver”, confidencia Tony Hsieh, empresário vitalício e CEO da Zappos, com sede em Las Vegas, “porque ele nunca teve exatamente os recursos de que precisava, mas de alguma forma descobriria como fazer tudo funcionar”. Em última análise, acho que é isso que é ser um empresário”. Não se trata de ter recursos suficientes, explica ele, mas de ser engenhoso com o que se tem.

Um empreendedor obcecado pelo fluxo de caixa.

Antes de fundar Brainshark, um Waltham, fornecedor de software de produtividade de vendas com base em massa, Joe Gustafson iniciou um empreendimento chamado Relational Courseware. “Só pensava no fluxo de caixa e na liquidez”, admite ele. “Havia sete vezes na história [da empresa] de oito anos quando eu estava dias ou horas longe da folha de pagamento e não tinha dinheiro suficiente para fazer isso”.
Como é que ele respondeu? “Nos primeiros tempos, você podia aumentar e colocar despesas no seu cartão de crédito pessoal, mas isso só pode ir tão longe”, diz ele. “Você precisa de dinheiro.”

Um empreendedor não pede permissão.

Stephane Bourque, fundador e CEO da Vancouver, Incognito Software, sediada na Colúmbia Britânica, diz que os verdadeiros tipos de empresas são mais propensos a pedir perdão do que permissão, avançando para abordar as oportunidades ou questões que reconhecem.
“Os empresários nunca estão satisfeitos com o status quo”, diz Bourque, que descobriu que não estava destinado ao mundo corporativo quando suas novas e melhores maneiras de fazer as coisas foram interpretadas como críticas indesejadas por seus chefes. Agora, ele diz: “Gostaria que meus funcionários se metessem em mais problemas”, porque isso mostra que eles estão em busca de oportunidades para melhorar a si mesmos ou as operações da empresa.

Um empreendedor é destemido

Onde a maioria evita o risco, os empresários vêem potencial, diz Robert Irvine, chef e anfitrião do Restaurante da Food Network: Impossível. Os verdadeiros ‘treps’ não têm medo de alavancar suas casas e aumentar o saldo de seus cartões de crédito para acumular os fundos de que precisam para criar um novo empreendimento. De certa forma, diz ele, eles são os melhores otimistas, porque acreditam que seus investimentos de tempo e dinheiro acabarão compensando.

Um empreendedor acolhe a mudança

“Se você tem apenas um resultado aceitável em mente, suas chances de fazê-lo são pequenas”, adverte Rosemary Camposano, presidente e CEO da cadeia Halo Blow Dry Bars, do Vale do Silício. Ela diz que, se você estiver disposto a ouvir, seus clientes lhe mostrarão qual dos seus produtos ou serviços é o que oferece mais valor.

Sua visão original para a Halo era parte de uma barra seca, parte de uma loja de presentes, “para ajudar mulheres ocupadas em multitarefas”, ela explica. Mas ela rapidamente aprendeu que a loja de presentes estava causando confusão sobre a natureza do seu negócio, então ela a tirou e a substituiu por uma cadeira de secagem extra, e as coisas decolaram. Empresárias inteligentes evoluem constantemente, ajustando seus conceitos de negócio em resposta ao feedback do mercado.

Conjunto de Mentes Empreendedoras

Um empreendedor adora um desafio

Quando confrontados com problemas, muitos empregados tentam passar o dinheiro. Os empreendedores, por outro lado, estão à altura da ocasião. “Os desafios os motivam a trabalhar mais”, diz Jeff Platt, CEO da franquia do Parque de Trampolins Indoor Sky Zone. “Um empresário não acha que nada é insuperável… Ele olha a adversidade nos olhos e continua.”
Candace Nelson, fundadora da Sprinkles Cupcakes, concorda. Apesar dos opositores que questionaram sua idéia para uma padaria no meio do medo dos carvões no início dos anos 2000, ela perseverou e agora tem localizações em oito estados. Na verdade, ela foi uma das primeiras empreendedoras de um negócio que se tornou uma loucura contínua, provocando inúmeros imitadores.

Um empreendedor considera-se um forasteiro

Os empresários nem sempre são aceites, diz Vincent Petryk, fundador da J.P. Licks, uma cadeia de gelatarias de Boston. Podem ser vistos como opinativos, curiosos e exigentes – mas isso não é necessariamente uma coisa má. “Eles são frequentemente rejeitados por serem diferentes de alguma forma, e isso só os faz trabalhar mais duro”, diz Petryk. É o caso em questão: Ao invés de copiar o que a maioria das outras sorveterias estavam fazendo, incluindo comprar dos mesmos fornecedores conhecidos, Petryk forjou seu próprio caminho para J.P. Licks, desenvolvendo sobremesas feitas de raiz em sabores arrojados.

Um empreendedor recupera rapidamente

É uma noção popular que os empresários de sucesso falham rapidamente e falham frequentemente. Para Corcoran, o truque está na velocidade da recuperação: Se falhar, resista ao impulso de gemer ou sentir pena de si mesmo. Não chafurdem; passem para a próxima grande coisa imediatamente.

Um empreendedor ouve

A atriz Jessica Alba, co-fundadora e presidente da The Honest Company, sediada em Santa Monica, Califórnia, que vende produtos para bebês, casa e cuidados pessoais, observa que “é importante cercar-se de pessoas mais espertas do que você e ouvir idéias que não são suas. Estou aberto a ideias que não são minhas e a pessoas que sabem o que eu não sei, porque acho que o sucesso requer comunicação, colaboração e, às vezes, fracasso”.

Um empreendedor concentra-se no que importa (quando eles descobrem o que importa).

“Os empresários caem e se levantam até acertarem”, diz Micha Kaufman, co-fundador e CEO do mercado online freelancer de rápido crescimento Fiverr. Durante o lançamento do Fiverr, em vez de tentar lidar com “um número infinito de desafios potenciais”, Kaufman e sua equipe se concentraram “no maior desafio que todo mercado tem: construir liquidez”. Sem liquidez, não há mercado”.

Como funciona o Franchising

como funciona o franchising, a sua origem e tipos de franchising

O termo “franchising” é usado para descrever muitos tipos diferentes de relações comerciais, mas no seu uso mais comum refere-se ao Franchising de Formato Comercial.


Em Franchising em Formato de Negócios, uma empresa licencia suas marcas e métodos de negócios comprovados para outros em troca de um pagamento recorrente, uma porcentagem de vendas brutas ou uma taxa fixa. Uma empresa que licencia suas marcas e métodos de negócio é chamada de franqueadora. Um indivíduo que paga para usar as marcas e métodos de um franqueador é chamado de franqueado. Os franqueados abrem clones do negócio do franqueador e os administram com a assistência contínua do franqueador por um período pré-determinado.


A relação entre um franqueador e um franqueado é regida por um contrato chamado de Acordo de Franquia. Este contrato descreve os privilégios, termos, condições, restrições e outros detalhes do acordo. O negócio operado sob um Acordo de Franquia é freqüentemente chamado de um estabelecimento de franquia ou local de franquia. O Acordo de Franquia tipicamente dá direito ao franqueado a treinamento inicial, um Manual de Operações, um pacote inicial, uma área de operação delineada (o “território”), suporte contínuo, suporte de marketing nacional e/ou regional e a licença de marca registrada. O Acordo dá direito ao franqueador a vários pagamentos e taxas, e afirma o seu controlo sobre a(s) marca(s), a forma como os produtos e serviços são comercializados e vendidos, e a qualidade e padrões do negócio como um todo. O franchising permite que pessoas sem formação prévia possuam e operem um negócio testado e comprovado, e proporciona às empresas um meio lucrativo de expansão. Os benefícios para ambas as partes e para a economia como um todo são significativos.

As Origens do Franchising

As origens do franchising podem ser rastreadas até à Idade Média, mas é geralmente reconhecido que o início do século XX viu o primeiro verdadeiro formato de Franchise Business Format. Esta foi desenvolvida pela Singer Sewing Machine Company nos Estados Unidos, que criou um sistema de serviço e manutenção para as suas máquinas. A General Motors também esteve envolvida no franchising mais tarde no século XX, lançando as bases para uma rede de concessionários de automóveis franchisados, um sistema que ainda hoje predomina no retalho de veículos automóveis.

Uma das primeiras franquias de maior sucesso foi a indústria de engarrafamento de refrigerantes, onde a Coca-Cola, Pepsi e 7-Up iniciaram o uso do franchising como método econômico de expansão para a venda e distribuição de suas marcas. À medida que a idéia de franquias se convertia mais nos Estados Unidos, o número de franqueadores crescia: as companhias petrolíferas franqueavam seus postos de abastecimento e os atacadistas franqueavam suas mercearias de varejo.

A década de 1950 viu um interesse crescente no franchising e o conceito foi adoptado por empresas de sectores da economia em constante crescimento. O McDonald’s é hoje um dos melhores exemplos de Franchising de Formato Empresarial. Em 1960, a Associação Internacional de Franchising (IFA) foi fundada em Washington, DC, com o objectivo de proteger, melhorar e promover os interesses da indústria do franchising. A IFA é hoje a mais antiga (e maior) organização de franchising do mundo e representa mais de 1.500 sistemas de franchising, mais de 10.000 franchisados e mais de 500 empresas fornecedoras de bens e serviços à indústria.

A British Franchise Association (bfa) foi formada no final dos anos 70 para promover altos padrões na indústria e para educar o público sobre o franchising. A acreditação bfa hoje fornece credibilidade e respeitabilidade a merecedores de oportunidades de negócios de franchising e prestadores de serviços.

O franchising é baseado numa relação comercial de longo prazo entre franqueador e franqueado. O franqueador tem a comprovada fórmula, método e modelo de negócio. O franqueado tem o impulso e os meios para usar, seguir e construir um negócio. Ambos devem colaborar para que o negócio da franquia atinja seu potencial e ambos têm interesse em ver isso ter sucesso. À medida que avançamos no século XXI, um número cada vez maior de proprietários de negócios bem-sucedidos criará novas oportunidades de franquia.


Uma Franquia de Emprego

Estas requerem um nível de investimento de £7.500 a £20.000 e podem ser melhor descritas como uma operação de uma pessoa por conta própria, frequentemente baseada em veículos e estão em áreas como limpeza, serviços motorizados, artesanato ou habilidades relacionadas.


Franquia de Vendas & Distribuição

Investimento que varia de £10,000 a £45,000. Venda e distribuição de produtos ou serviços em um território.

Franquia de Gestão

Investimento entre £35,000 a £100,000. Normalmente controlando e gerenciando uma região com uma equipe de operadores.


Franquia de Varejo

Investimento de 75.000 a 300.000 libras esterlinas. Adquirir instalações, aluguer e equipamento de loja de acordo com as especificações do franchisador, e depois recrutar e formar pessoal, tudo seguindo as orientações estritas do franchisador.

Franquias de Alimentos & Bebidas

Investimentos de £100.000 a £800.000. Variando principalmente de acordo com a localização. Os franqueadores trabalham com franqueados desde a aprovação do local até a montagem da loja e o lançamento profissional.

Franquias de Investimento

Capital de £1 milhão a £5 milhões. O franqueado retém a gestão estratégica geral enquanto contrata outros para gerir o estabelecimento franqueado no dia a dia. A maioria das franquias de investimento estão relacionadas a hotéis e franquias de restaurantes multi-unidades.

Gestão de Investimentos

O que é a Gestão de Investimentos?

A gestão de investimentos tem duas definições gerais, uma relacionada com serviços de consultoria e outra relacionada com finanças corporativas.

Na primeira instância, um consultor financeiro ou empresa de serviços financeiros presta serviços de gestão de investimentos coordenando e supervisionando a carteira financeira de um cliente – por exemplo, investimentos, orçamentos, contas, seguros e impostos.

Nas finanças corporativas, a gestão de investimentos é o processo de assegurar que os ativos tangíveis e intangíveis de uma empresa sejam mantidos, contabilizados e utilizados da melhor forma possível.

Como funciona a gestão de investimentos?

Uma empresa de gestão de investimentos que serve como conselheira de um cliente tem um objectivo primordial – aumentar substancialmente a carteira do seu cliente. Os gestores de investimentos são frequentemente contratados por investidores institucionais como fundos de pensão, corporações e intermediários financeiros, bem como por indivíduos com alto patrimônio líquido.

Os gestores de investimento realizam entrevistas, pesquisas e análises estatísticas de empresas, mercados e tendências para determinar quais investimentos devem ser feitos ou evitados em nome de seus clientes. Os gestores de investimento geralmente não precisam de uma licença específica de “gestor de investimento”, embora as empresas que contratam gestores de investimento muitas vezes exijam o registro em uma ou mais bolsas e/ou na Associação Nacional de Dealers de Valores Mobiliários (NASD).

Nas finanças corporativas, a gestão de investimentos requer encontrar formas de maximizar o valor da empresa, gerenciando ativos tangíveis e intangíveis de longo prazo para que sejam mais confiáveis, eficientes ou mais baratos – incluindo a avaliação de opções de financiamento de ativos, métodos contábeis, gestão de operações de produção e cronogramas de manutenção.

Porque é que a gestão de investimentos é importante?

Embora a maioria dos trabalhos financeiros não tenha um título oficial de “gestor de investimentos”, a verdade é que quase todos no mundo financeiro usam a gestão de investimentos até certo ponto.

Como resultado, a maioria dos profissionais financeiros é julgada pela sua capacidade de gerir investimentos com sucesso – directa ou indirectamente. A proficiência na gestão de investimentos faz a diferença entre um desempenho medíocre e um desempenho estelar, tanto a nível individual como corporativo.

6 Passos para a Criação de uma Proposta de Venda Única

O que é uma Proposta de Venda Única?


Uma Proposta de Venda Única é uma das peças fundamentais de qualquer campanha de marketing sólida. Simplesmente declarada, é um resumo do que torna o seu negócio único e valioso para o seu mercado-alvo. Ela responde à pergunta: Como é que os seus serviços comerciais beneficiam os seus clientes melhor do que qualquer outra pessoa?

Uma Proposta de Venda Única pode dar muita clareza ao seu modelo de negócio, o que sua empresa faz e porque você o faz. Pode definir o seu negócio e os seus objectivos comerciais mais importantes numa frase.

Propostas de Venda Únicas bem sucedidas podem ser usadas como um slogan da empresa e devem ser incorporadas em todas as suas atividades de marketing.

Passo 1: Descreva o seu público-alvo

Antes mesmo de começar a comercializar os seus serviços, você precisa saber quem você está visando. Nesta etapa, você quer ser o mais específico possível. Por exemplo, se você é um desenvolvedor Web com experiência em CMS, em vez de ter como alvo qualquer pessoa que precise ajudar a construir ou modificar um CMS, você pode identificar o seu cliente alvo como um pequeno empresário que está procurando um desenvolvedor bem versado em MODx para personalizar o seu site.

Passo 2: Explique o problema que você resolve

Da perspectiva dos seus potenciais clientes, qual é a necessidade ou desafio individual que o seu negócio pode resolver para eles?

Passo 3: Liste os Maiores Benefícios Distintivos

Nesta etapa, liste 3-5 dos maiores benefícios que um cliente obtém ao escolher trabalhar com você que não poderia obter de outra pessoa (ou seja, o que o diferencia da sua concorrência). Mais uma vez, pensando na perspectiva dos clientes, estes benefícios devem explicar porque é que os seus serviços são importantes para eles e porque é que eles o escolheriam a si em vez de outro fornecedor.

Passo 4: Defina a sua promessa

Uma grande parte de uma Proposta de Venda Única de sucesso é fazer uma promessa aos seus clientes. Embora isto possa ser implícito em vez de soletrar, escreva esta promessa que você faz aos seus clientes nesta etapa.

Passo 5: Combine e Trabalhe de novo

Depois de completar os passos 1-4, pegue todas as informações listadas e combine-as em um parágrafo. Deve haver algumas idéias e pensamentos recorrentes, então você vai querer começar a fundir declarações e reescrever de uma forma que flua e faça sentido.

Passo 6: Corte-o

Neste passo, pegue seu parágrafo do passo 5 e condense-o ainda mais em apenas uma frase. Você quer que a sua Proposta de Venda Única final seja tão específica e simples quanto possível.

Brainstorming

Tome o seu tempo enquanto faz este exercício e faça vários rascunhos ao longo de uma semana até chegar à sua Proposta de Venda Única final. Uma mente fresca e uma perspectiva é essencial, por isso recomendo que o faça no início do seu dia versus no final, quando estiver cansado. Você também pode querer voltar e fazer este exercício novamente, uma vez que você experimentar a sua Proposta de Venda Única por um tempo, ou se algo mudar com o seu negócio.

Você tem uma Proposta Única de Venda? Se não, você acha que vai levar tempo para criar uma?